"...Liberdade, essa palavra
que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda..."

Cecília Meireles

domingo, 14 de outubro de 2012

DENSIDÃO



Quando a dor é tão intensa

que até a alma faz calar,

vem aquele choro sentido,

como cascatas de águas claras

tentando essa dor sufocar.

É o chorar para não enxergar.

É o se desmanchar...

É o não querer aceitar...

É o grito contido

de um peito dolorido

que não sabe se vai aguentar.

É o querer voltar aos tempos antigos

e em meus braços te apertar,

 em meu colo te acalentar.

É poder te dizer que amanhã

o Sol de repente vai raiar,

que esses momentos ruins vão passar

e que a felicidade um dia

com certeza vai voltar.

 Regina Gois

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

SONHO

Que me dera poder escolher,
eu escolheria simplesmente viver.
me Libertaria  das correntes
e sairia por aí, calmamente.
Pararia para ver o Sol nascer,
para apreciar a beleza das flores,
sentir em meu rosto a brisa do mar,
para contar as estrelas,
me embriagar de ar,
ver meu filho crescer.
Pararia para simplesmente não enlouquecer.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Meu presente

Novamente, mais um dia se foi,
tão depressa,
que eu não me vi... não me senti...
estava diluída a tanta gente,
que de repente me perdi.

Quando a noite chegou,
eu então acordei,
como mais um sobrevivente,
ainda sentindo o peso das correntes.
.
Com o corpo arquejado
e o peito apertado
tento olhar para o horizonte,
mas ele me parece distante, estreito, imperfeito...

Quisera eu poder entender este presente,
meter-me por sua porta entreaberta,
questionar os seus critérios,
e me preparar, para ser eu novamente.